Blog

O incrível universo dos dados

Da tomada de decisões ao comportamento humano

Da tomada de decisões ao comportamento humano: o incrível universo dos dados

20/04/2022
Partager:

“Sabemos que existem muitas tecnologias e trabalhos que são feitos para suportar a transformação digital de uma empresa. Por exemplo, Cloud, IA, IoT, e Dados é mais uma delas. Só que diferente das outras, dados envolve uma questão cultural de transformação das pessoas. E é sobre isso que vamos falar bastante aqui”. É assim que o nosso Head de Estratégia e Soluções Digitais, Marcello Bosio, começa o terceiro episódio do videocast da Meta, transmitido no dia 29 de março. Junto com ele tivemos Simone Lettieri, CIDO da Meta, Amanda Santos, Lean Portfolio Manager, e Melissa Cozono, Head do CoE de Dados e IA falando sobre O Universo de Dados na transformação digital (DX).

Simone começa explicando o papel dos dados nessa transformação. Eles são importantes para trazer um novo viés para o desenvolvimento do planejamento estratégico da empresa. E mais do que isso, o aculturamento das pessoas em pensar e estabelecer novos padrões a partir da informação. Sendo assim, os dados são importantes para os negócios que querem se destacar nesse novo mercado, na nova economia digital. O tempo médio para que essa mudança cultural aconteça é entre dois e quatro anos. E esse processo impacta em sair da tomada de decisão empírica para uma baseada em fatos, proporcionando mais foco e, consequentemente, melhores resultados.

Outro ponto muito importante é desmitificar que os dados fiquem apenas em cargos mais altos, como diretoria e c-levels. É importante que haja o incentivo para que todas as áreas tenham acesso as informações estratégicas, já que os dados são combustíveis para a criatividade. Com a disponibilidade desses indicadores que norteiam a empresa, é possível fomentar novas ideias em todos os níveis. “Você instiga através do chamado data literacy, da educação através de dados e do uso da informação, que perguntem mais para além do que é mostrado. Podemos dizer que isso é uma democratização” explica Melissa.

Quando existe o entendimento de que o relacionamento diário, seja com clientes, investidores ou colaboradores, geram dados, eles passam a ser, de fato, um ponto inicial de decisão. Então, como foi dito, a empresa deixa de ter uma abordagem empírica e passa a embasar as escolhas na realidade do negócio. Além de poder cruzar a realidade interna com o que é enxergado do mundo externo, o chamado outside in. De quebra, ainda economiza tempo e capital, pois deixa de lado o modelo “tentativa e erro” para uma proposta mais assertiva.

Uma das maiores necessidades, hoje, é a de conhecer seu colaborador, não só como um número, mas entender o perfil do time em forma de dados. Em um mercado com grandes mudanças e diversas oportunidades profissionais, um caso da própria Meta foi fazer um estudo e entender o comportamento de todos. A partir daí foi possível reajustar a forma de comunicar para que a informação chegasse melhor ao público Meta.

Amanda complementa explicando que não basta entender só o agora, é importante analisar comportamentos para o futuro. “A partir do momento que você tem a evolução dessa jornada, você também consegue predizer o que pode acontecer com base em análises já feitas em históricos, fatos passados. E ainda evita, por exemplo, turnover”.

Pensando mais no digital, o tema dados e algoritmos também foi abordado. Quando um serviço de streaming entende o usuário e sugere opções dentro de seus gostos, isso se dá com base na análise de dados do comportamento deste usuário. Com diversas bases de análise, eles usam a visão de eficiência operacional, a qual possibilita escolher melhor onde investir e ter sucesso no retorno.

Além desses temas, principalmente carreira, nossa mesa também abordou conceitos técnicos, formação, LGPD e ainda tirou todas as dúvidas do público que acompanhou ao vivo. E para saber tudo o que rolou, não deixe de conferir a conversa na íntegra. Acesse:

Partager:

Meta IT est une entreprise avec plus de 30 ans sur le marché qui a ouvert ses opérations en Amérique du Nord en 2020. Elle offre des conseils et des services de transformation numérique, mettant en œuvre des solutions technologiques qui accélèrent les résultats pour les grandes et moyennes entreprises à l'échelle mondiale et aidant les organisations et les entreprises à repenser et mettre à jour leurs modèles économiques. L'entreprise planifie et exécute des projets qui simplifient le parcours de transformation numérique de bout en bout grâce au conseil stratégique, au développement de logiciels, au maintien des applications, aux technologies SAP, à l'automatisation, également connue sous le nom de RPA, à l'augmentation du personnel et aux équipes agiles.